Cabelo

Título de engajamento ento título de engajamento


Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Fusce aliquet augue et cursus cursus. Sed diam dui,
blandit eu venenatis rutrum, iaculis in tortor. Duis libero, aliquam at vehicula eu, sagittis nec erat. Cras et leo nibh.

Tratamentos para cabelo


Atingindo quase 70% de homens e 40% das mulheres, a ALOPECIA ANDROGENÉTICA é uma manifestação fisiológica resultado da estimulação dos folículos pilosos por hormônios masculinos que começam a ser produzidos na adolescência (testosterona). A característica principal da ALOPECIA ANDROGENÉTICA é a queda continuada dos cabelos com substituição por fios cada vez mais finos e menores até a interrupção do crescimento.
Nos homens, a progressão da ALOPECIA ANDROGENÉTICA leva à calvície, caracterizada pela ausência de cabelos na parte superior e frontal da cabeça, poupando as áreas laterais e posterior. Já as mulheres, muito raramente chegam à calvície total. Em geral, apresentam um quadro de rarefação difusa dos pelos que também tornam-se mais finos. Geralmente as manifestações da calvície feminina agravam-se após a menopausa.
O tratamento com a ALOPECIA ANDROGENÉTICA visa o prolongamento da vida útil dos folículos pilosos retardando ou interrompendo o processo de queda dos cabelos. Pode ser feito através do uso de substâncias aplicadas diretamente no couro cabeludo, como o minoxidil, ou com medicamentos por via oral, como a finasterida ou a dutasterida.

A indicação do tratamento mais apropriado vai depender de cada caso, devendo ser feita por um médico dermatologista, pois o quadro clínico varia muito de paciente para paciente.
A ALOPECIA AREATA nada mais é do que uma doença que ocasiona a queda de cabelos e estima-se que aproximadamente 2% da população tenha este problema. Caracterizada, principalmente, por criar áreas limitadas de calvície no meio do couro cabeludo, a ALOPECIA AREATA é uma das condições mais complicadas de lidar, porque se conhece muito pouco sobre como ela realmente funciona.
Ela costuma aparecer com mais frequência entre o final da infância e o início da fase adulta, mas pode atingir homens e mulheres de qualquer idade. Normalmente, a ALOPECIA AREATA acontece quando o sistema imunológico ataca os folículos capilares, como se eles fossem um agente invasor do corpo.
Com isso cria-se uma ou mais áreas localizadas de calvície, que podem se recuperar espontaneamente depois de alguns meses. Os episódios podem se repetir várias vezes durante a vida do indivíduo, podendo ser causada por estresse grave.
O tratamento não é obrigatório, porque não previne as recidivas, uma vez que a condição é benigna e tende a regredir espontaneamente, mas costuma ser indicado porque a ALOPECIA AREATA pode causar distúrbios psicológicos importantes. Adultos com menos de 50% de envolvimento do couro cabeludo podem beneficiar-se com a aplicação de injeções locais de derivados da cortisona.

A aplicação local de cremes contendo corticosteróides, de soluções de Minoxidil, de creme de antralina, de sensibilizadores de contato como o DNCB e o SADBE são outras opções de tratamento para estimular o crescimento do fio de cabelo para quem tem a ALOPECIA AREATA
A Alopecia Androgenética, como o próprio nome indica, é fortemente determinada pelo nosso perfil genético (significa que a CALVÍCIE tende a permanecer por toda a vida). Estima-se que até 70% dos homens e 40% das mulheres serão afetados por esse tipo de CALVÍCIE em algum momento da vida, sendo que as chances de manifestá-la aumentam com a idade.
Já a Alopecia Areata provoca áreas específicas de CALVÍCIE, que podem surgir e se recuperar espontaneamente. Acredita-se que nesse caso, o problema é causado por uma disfunção do sistema imunológico, podendo atingir diversas regiões como couro cabeludo, sobrancelhas, cílios, barba, entre outros. Um terceiro tipo é a Alopecia Cicatricial, resultante de infecções bacterianas severas no couro cabeludo, que acabam gerando cicatrizes.
Há também o Eflúvio Telógeno, que faz com que os fios comecem a entrar prematuramente na fase final do seu ciclo de vida, sendo o diagnóstico mais frequente para QUEDA CAPILAR. Isso ocorre devido a diversos fatores como ações hormonais, doenças severas, doenças crônicas, ações nutricionais, medicações específicas, traumas físicos e psicológicos.
No entanto, alguns medicamentos tópicos e via oral podem minimizar, atrasar ou interromper a manifestação da CALVÍCIE. Além dessas substâncias, veja alguns tratamentos que podem auxiliar na CALVÍCIE:

• INTRADERMOTERAPIA CAPILAR A Intradermoterapia Capilar é trata-se de uma técnica de origem francesa, extremamente difundida em toda a Europa. Consiste na introdução, através de injeções no couro cabeludo, de substâncias que vão tratar a queda de cabelos e estimular o crescimento de novos fios, com excelentes resultados. Tem indicação principal no controle de quedas agudas de cabelo (eflúvio telógeno agudo) ou para o tratamento de resgate de quadros progressivos, como a alopecia androgenética.

• LED LED (Luz Emitida por Diodo) é um laser desenvolvido especificamente para o estímulo capilar. Ele prolonga a fase anágena (de crescimento) do ciclo de vida do cabelo, por meio de um fenômeno chamado bioestimulação. Esse laser ainda tem ação anti-inflamatória e diminui a oleosidade do couro cabeludo. Para restauração capilar, o LED também é útil. Ele age por fotomodulação, acelerando o crescimento capilar e garantindo fios mais fortes. Também diminui a chance de aparecerem irritações.

• MICROAGULHAMENTO A Terapia Percutânea de Indução de Colágeno, mais conhecida como Microagulhamento, se tornou o segredo de beleza entre celebridades de todo o mundo, pois aumenta 400 vezes a quantidade de colágeno na pele e evita o bisturi. Além disso, trata flacidez, suaviza linhas e rugas de expressão, clareia manchas, atenua cicatrizes provocadas pela acne, rejuvenesce a pele, combate estrias e diminui queda de cabelo (calvície). Trata-se de um equipamento com agulhas finas, que submete a pele a milhares de furos impossíveis de serem vistos a olho nu. Com isso, a pele é obrigada a produzir muito colágeno para preencher estes orifícios minúsculos, formando uma pele mais firme, luminosa e uniforme. O resultado dura até cinco anos, pois o colágeno é formado naturalmente.
Assim como cuidar do corpo, é muito importante cuidar da saúde de seu cabelo. para identificar como anda a saúde do cabelo, EXAMES CAPILARES podem ser a melhor solução para o seu caso. através de análises de imagem, com o uso de lentes de aumento, câmeras e um aparelho chamado dermatoscópio digital, é possível avaliar desde ações externas da fibra até doenças do couro cabeludo. além disso, também é possível estimar a velocidade de crescimento e a quantidade de fios por cm² para se ter uma ideia de como anda a situação dos seus cabelos.
Desta maneira, os EXAMES CAPILARES ajudam tanto na elaboração do diagnóstico de qualquer problema como também na avaliação da evolução e dos resultados de tratamentos. veja alguns EXAMES CAPILARES que podem ser realizados:

Tricoscopia A tricoscopia é um exame dermatoscópico para o couro cabeludo que permite o diagnóstico e acompanhamento das diversas causas de alopecias, como as calvícies de padrão feminino e masculino, queda crônica dos fios, e outras doenças que acometem todo o couro cabeludo.
A tricoscopia, ainda, possibilita avaliar de forma comparativa as diferentes áreas do couro cabeludo, determinando os locais de comprometimento dos cabelos e sua intensidade, além de avaliar a resposta aos diversos tipos de tratamento.

Tricograma O tricograma é um exame capaz de analisar o cabelo e pode detectar ações no seu ciclo biológico, podendo ser usado para o diagnóstico e para a evolução das doenças. além disso, este tipo de exame serve de parâmetro na avaliação dos tratamentos empregados.
Vale lembrar que o tricograma é um método que determina o número de cabelos, sua densidade e quantifica a proporção destes nas diferentes fases de seu crescimento, podendo, também, diminuir a queda de cabelo ativa em determinados pacientes.

Biópsia Na biópsia é retirado um fragmento de couro cabeludo para análise do patologista. o procedimento é feito em consultório, com aplicação de anestesia local, finalizado com sutura (pontos) do couro cabeludo. não são necessários repouso ou afastamento após sua realização.
A INTRADERMOTERAPIA CAPILAR trata-se de uma técnica de origem francesa, extremamente difundida em toda a Europa. Consiste na introdução, através de injeções no couro cabeludo, de substâncias que vão tratar a queda de cabelos e estimular o crescimento de novos fios, com excelentes resultados. É indicada, principalmente, para o controle de quedas agudas de cabelo (eflúvio telógeno agudo) ou para o tratamento de resgate de quadros progressivos, como a alopecia androgenética.
A principal vantagem no uso da INTRADERMOTERAPIA CAPILAR se deve à ação farmacológica dos medicamentos utilizados, associada ao efeito estimulante das picadas da agulha. A gota injetada exerce ação mecânica que estimula a vasodilatação reflexa.
As aplicações são realizadas em pequenas doses por toda a extensão da região selecionada. A combinação do medicamento com o efeito estimulante das picadas da agulha, favorece a vasodilatação e o fortalecimento dos bulbos capilares.

Por fim, as aplicações da INTRADERMOTERAPIA CAPILAR podem durar em torno de dez a quinze minutos e costumam ser divididas em 10 sessões. A periodicidade das aplicações depende de cada caso, podendo ser semanais, quinzenais, mensais, etc.
A queda de cabelo é um problema que acomete milhares de pessoas, entre homens e mulheres, por todo o mundo. isso pode acontecer devido a problemas genéticos ou corriqueiros do dia a dia, como o estresse.
Mas isso não é motivo de panico. muito pelo contrário, já que hoje já existe uma nova nativa para combater o problema: o tratamento com LED. O LED (luz emitida por diodo) nada mais é do que um laser desenvolvido especificamente para o estímulo capilar. Ele prolonga a fase anágena (de crescimento) do ciclo de vida do cabelo, por meio de um fenômeno chamado bioestimulação.
O LED ainda tem ação anti-inflamatória e diminui a oleosidade do couro cabeludo. para restauração capilar, o LED também é útil. Ele age por fotomodulação, acelerando o crescimento capilar e garantindo fios mais fortes. também diminui a chance de aparecer irritações.

Por fim, é importante ressaltar que o LED reduz a queda e reestrutura os fios, já que possui uma ação antienvelhecimento, que hidrata, nutre, protege contra oxidação e foliculite e diminui a perda de volume. Se na área que houve queda ainda sobrou um folículo, então vai haver a produção de novos fios.
Muitas pessoas, no mundo todo, tem sofrido com a queda de cabelos, que pode acontecer com qualquer um. Apesar de ser um problema que parece não ter solução, hoje já existem alguns tratamentos estético para evitar a queda capilar, entre eles o MICROAGULHAMENTO CAPILAR.
O MICROAGULHAMENTO CAPILAR é um procedimento inspirado na acupuntura, uma técnica chinesa milenar. Partindo do mesmo princípio, o tratamento cria microlesões no couro cabeludo do paciente para estimular o local a produzir fatores de crescimento endógenos, responsáveis pelo surgimento dos novos fios. A técnica também auxilia e potencializa a absorção dos cremes e loções que são aplicadas durante o tratamento.
Como o próprio nome indica, o MICROAGULHAMENTO CAPILAR consiste na utilização de diversas agulhas minúsculas esterilizadas e feitas de aço cirúrgico ou microagulhamento para calvícietitânio. Elas podem estar encaixadas em um rolo, que tem cerca de 200 agulhas, para auxiliar a sua aplicação na pele.
Além disso, o MICROAGULHAMENTO CAPILAR é capaz de induzir a super-expressão de genes que gerarão substâncias e/ou mediadores relacionados com o crescimento do cabelo, como o fator de crescimento do endotélio vascular (VEGF), B-catenina, Wnt3 e Wnt10.

É importante ressaltar que o resultado dura até cinco anos, pois o colágeno é formado naturalmente.
A QUEDA CAPILAR é um problema muito comum, que pode ter diversas causas, tanto emocionais como de saúde. Além de ser algo que pode afetar qualquer pessoa, a QUEDA CAPILAR é uma queixa comum entre as mulheres e, quando se tratar de uma patologia, pode ser por diversas causas, como por exemplo doenças da tireoide, deficiência de ferro, doenças infecciosas e autoimunes, entre outras.
Antes de mais nada, é interessante saber que perder o cabelo é algo “normal”, ou seja, cerca de 20 a 100 fios de cabelo caem da cabeça de todas as pessoas diariamente – o que não é muita coisa se comparada aos mais de 100 mil fios sobre nosso couro cabeludo.
No entanto, muitas das pessoas que apresentam uma QUEDA CAPILAR mais acentuada ou fora do comum, pode ser algum problema de saúde mais grave. Vale lembrar que mesmo em casos onde ocorre mais perda capilar, não é motivo para pânico: esse quadro não leva à calvície, pois todos os cabelos que caem serão repostos por novos fios!

Mudanças hormonais e no metabolismo podem levar à QUEDA CAPILAR temporária, o que justifica boa parte dos casos de mulheres que apresentam o problema. Estresse físico ou emocional também causam a queda capilar. Por fim, medicamentos também podem causar A QUEDA CAPILAR, como os usados em quimioterapias, no caso de tratamento de câncer, e remédios para artrite, depressão, problemas cardíacos e pressão alta.
cta-whatsapp
AGENDE ATRAVÉS DO WHATSAPP